Conheça as mulheres que contribuíram para evolução da tecnologia

Thumb Conheça as mulheres que contribuíram para evolução da tecnologia

As mulheres que contribuíram para da tecnologia

Sabemos que a inserção de mulheres na área de tecnologia ainda é baixa. Os motivos variam: desde o preconceito de alguns homens contra a presença de mulheres na área tecnológica, até questões culturais. Por esse, e muitos outros motivos, listei algumas das mulheres que revolucionaram a tecnologia.

“A parte mais importante dessas histórias é que podemos usá-las para moldar o legado para a próxima geração de mulheres”, disse Carolyn Leighton, fundadora da Women in Technology International. “Sabemos como, sem dúvida, como exemplos podem inspirar e afetar escolhas. Não é somente por elas, mas também pelos jovens homens e mulheres que podemos inspirar”.

As garotas do ENIAC”

Formado por: Kathleen McNulty, Mauchly Antonelli, Jean Jennings Bartik, Frances Synder Holber, Marlyn Wescoff Meltzer, Frances Bilas Spence e Ruth Lichterman Teitelbaum.

Elas foram as selecionadas para programar o ENIAC. O objetivo era criar o primeiro computador eletrônico e digital para a Segunda Guerra Mundial, mas não havia linguagem de programação, software, e nem sistema operacional. Elas só tinham digramas, esquemas de como as coisas deveriam funcionar.

Então precisavam descobrir como interagir com aquele computador, o primeiro do tipo, e “quebrar” as equações diferenciais que ele deveria executar, de modo a conseguir programá-lo e colocá-lo em funcionamento. Algumas delas eram responsáveis pela configuração do ENIAC, dando as instruções para realizar os cálculos necessários.

O ENIAC não ficou pronto a tempo de ser usado para a Guerra. No entanto, quando ele foi revelado à imprensa e ao público em 1946, as mulheres nunca foram citadas pelo trabalho feito. Elas foram responsáveis em dar o ponta pé inicial em muitos protocolos usados ainda hoje. Goldstine, criou o primeiro manual do ENIAC, ela junto com Jennings, tiveram influência em sistemas de salvamento de configurações e preferências. Snyder, criou o teclado numérico para facilitar na programação.

Augusta Ada Byron – Lady Lovelace

Augusta Ada Byron nasceu em Londres, filha do famoso poeta inglês Lord Byron e de Ann Isabella Milbanke, uma matemática cujo título era Princesa dos Paralelogramos, que encorajou a filha a estudar matemática. A história dela, está ligada à de Charles Babbage e a máquina de calcular. Ela é conhecida como a primeira programadora

da história, ela ajudou Babbage, no desenvolvimento da primeira máquina de cálculo, além de ser responsável pelo algoritmo que poderia ser usado para calcular funções matemáticas. A máquina deveria calcular números de Bernoulli, porém não foi construída durante seu tempo de vida.

Ela morreu com 36 anos. Para a homenagear, o Departamento de Defesa Americano deu o seu nome a uma linguagem de programação, a linguagem ADA. Atualmente na segunda terça-feira de outubro, é celebrado o “ Ada Lovelace Day”, que tem como objetivo lembrar os feitos do sexo feminino nas ciências, tecnologia, engenharia e matemática.

Margaret Heafield Hamilton

É uma cientista da computação, engenheira de software e empresária. Foi diretora da Divisão de Software no Laboratório de Instrumentação do MIT, que desenvolveu o programa de voo usado no projeto Apollo 11, a primeira missão tripulada à Lua. Foi graças a ela que Neil Asmstrong e Buzz Aldrin puderam dar um passeio na lua. Na NASA, a equipe de Hamilton foi responsável por estar à frente do software de orientação de bordo da Apollo, necessário para navegar e pousar na lua, e suas variações usadas em várias missões (incluindo a Skylab, posteriormente). Ela é creditada por ter criado o termo “engenharia de software”.

Grace Hopper

Nasceu em 9 de dezembro de 1906 em New York City. Em 1928 ela se formou no Vassar College, com um bacharelado em matemática e física. Continuou seus estudos na Universidade de Yale, onde defendeu o mestrado em 1930 e o doutorado em 1934 em Matemática. Hopper foi designada para o Bureau of Ordinance Computation Project na Universidade de Harvard, onde trabalhou na programação da série de computadores Mark I. Por seu pioneirismo e sucesso na programação de aplicações para os computadores Mark I, Mark II e Mark III, ela recebeu o Naval Ordinance Development Award.

Hopper é a responsável pelos termos bug e debug. Em 1945, enquanto escrevia um programa para o computador Mark I, este parou de funcionar. Ao tentar encontrar o problema, achou uma mariposa (bug) interrompendo os circuitos da máquina e, ao retirá-la (debugging), a máquina voltou a funcionar. Veio dela a ideia de escrever um programa que criasse um programa, ou nos termos atuais, construir um compilador. Sob sua direção, a Marinha desenvolveu um conjunto de programas e procedimentos para a validação compiladores COBOL.

Este conceito de validação teve amplo impacto sobre outras línguas e organizações de programação, que eventualmente levou à normas nacionais e internacionais e instalações de validação para a maioria das linguagens de programação. Ela recebeu muitos prêmios e elogios por suas realizações. Em 1969, ela foi premiada como a primeira Computer Science Man-of-the-Year Award da Data Processing Management Association.

Joan Clarke

Foi a única mulher a trabalhar no projeto de decodificação das máquinas Enigma ao lado de Turing. Estudou na Universidade de Cambridge e foi recrutada por um coordenador da instituição para entrar na Government Code and Cypher School (GCCS).

Recomendo assistir o filme “O Jogo da Imitação“.

Hedy Lamarr

Além de atriz de Hollywood, a austríaca naturalizada norte-americana Hedy Lamarr foi a inventora de uma tecnologia que permitia controlar torpedos à distância, durante a Segunda Guerra Mundial, alterando rapidamente os canais de frequência de rádio para que não fossem interceptados pelo inimigo. Esse conceito de transmissão acabou, mais tarde, permitindo o desenvolvimento de tecnologias como o Wi-Fi e o Bluetooth.

Sister Mary Kenneth Keller

Foi a primeira mulher de nacionalidade norte-americana a ter um doutorado em Ciências da Computação, consentido em 1965 na Universidade de Wisconsin-Madison. A sua tese tinha como título “Inferência indutiva dos modelos gerados pelo computador”. Além de participar no desenvolvimento da linguagem BASIC.

Fonte: techdicas.net.br

Envie seu comentário:

Você também pode gostar: